CLIQUE AQUI PARA BAIXAR O PROGRAMA DE PROPOSTA ELETRÔNICA PARA COTAÇÃO DE LICITAÇÕES

O MUNICÍPIO DE GUAIRAÇÁ, SUA HISTÓRIA E SUA ESTRUTURA ATUAL

A principal fonte de informação bibliográfica do município de Guairaçá encontra-se em Ferreira (1999 pg. 273). O referido autor explica que àqueles que nasceram nesta cidade denomina-se Guairaçaenses. O Município pertence atualmente à comarca de Terra Rica, estado do Paraná. A cidade faz limites com os municípios de Amaporã, Loanda, Nova Londrina, Paranavaí, Planaltina do Paraná e Terra Rica; com uma altitude estimada em 518 m. Seu clima predomina subtropical úmido mesotérmico, com verões quentes e geadas pouco frequentes, com tendências de concentração das chuvas nos meses de verão, sem estação seca definida. Temperaturas médias: entre 18° C e 22° C.

Guairaçá, está distante de Curitiba, capital do Estado 535 km, tendo suas coordenadas geográficas em 22° 55´10” latitude sul; 52° 41´ 10” longitude oeste-GR.
As terras de Guairaçá, em parte, foram adquiridas por um grupo de pessoas que fundaram uma imobiliária que recebeu a denominação de Sociedade Colonizadora de Guairaçá.

Há registros de que a Companhia de Terras Norte do Paraná possuiu e comercializou extensas áreas no norte do Estado. Segundo Wachowicz (1999, pg. 256) essa companhia adquiriu “inúmeras glebas situadas entre os rios Tibagi, Paranapanema e Ivaí”.

Mais tarde, esta empresa foi vendida, conforme expõe Wachowicz (1999, pg. 259): Em 1943, em virtude das dificuldades ocasionadas com a segunda Guerra Mundial, os ingleses colocaram à venda a Companhia de Terras Norte do Paraná. Foi a mesma adquirida em 1944 por grupos de capitalistas paulistas. Nascia a Companhia Melhoramentos Norte do Paraná.

A nova empresa iria dedicar-se, além da venda de terras, também à agricultura, à pecuária e ao desenvolvimento industrial.
Segundo Wachowicz (1995, pg. 259): “foram cidades fundadas por essas duas companhias do norte do Paraná: Londrina Cambe, Rolândia, Arapongas, Mandaguari, Apucarana, Jandaia do Sul, Maringá, Cianorte, Umuarama etc.”.

Guairaçá foi fundada em 1946 e parte de suas terras eram pertencentes, conforme já foi citado, à Sociedade Colonizadora Guairaçá, de propriedade dos Senhores Milton Vasconcelos Prado, Senador Moraes de Barros, Gumercindo Muniz Sampaio, João Baptista Ramos e da Senhora Elvira de Moraes Nobre. O senhor Milton Vasconcelos Prado e os demais citados a cima, obteveram o registro da “Colonizadora e Imobiliária Guairaçá”, instituída em 1946. Em 1954 estes proprietários adquiriram as demais ações, tornando-se proprietário de toda a empresa. Estes doaram vários terrenos para a construção de órgãos públicos municipais e estaduais. Fez a instalação de poços artesianos e rede de saneamento, os quais doaram ao município. Dedicou-se à agricultura e à pecuária.
As terras de Guairaçá são contíguas às de Paranavaí, colônia criada diretamente pelo Estado, em 1942.

Relacionam entre os pioneiros moradores, conforme Ferreira (1999, pg. 272): “Gumercindo Sampaio, João Sampaio, João Cardoso de Sâ, Maria de Oliveira, Manoel Tomás Ferreira de Souza e Cândido Berthier Fortes”.

Segundo dados mantidos no município, acrescentam-se ainda: outros pioneiros dentre eles: Albino de Souza, agricultor; Alcides Campano, Agro pecuarista, incentivador da criação de búfalos, é proprietário das fazendas Flor do Campo e Aymoré; Américo Mazutti, José Amadeu, Antonio Ortiz; Antonio Rodrigues da Silva, Antonio Vendramim, proprietário da Serraria Piracicaba, que inicialmente forneceu energia elétrica à cidade.

Consta também o Senhor Aparecido Cleto Gonçalves; Armando João Bateloqui, proprietário da primeira maquina de arroz, primeiro delegado e segundo Prefeito do Município; Avelino Américo de Oliveira, Benedito Cirino, Cassiano de Oliveira, Damiel dos Santos Viaes, agropecuarista e comerciante; Edeltrudes Rodrigues de Carvalho; Eliodoro Galdino, Família Yamamura, Fredrich Mewes, comerciante, proprietário de um hotel no inicio do município; Guerino Beppi, João Honório, João Bispo Gomes, João Mazutti, filho do Pioneiro Pedro Mazutti; José Amadeu e Afonso Amadeu, filhos do saudoso Vicente Amadeu, eles agricultores que participaram de aberturas de estradas e formação da cidade; José Ricardo; Kiniya Uriyu, agricultor; Kotaro Aoyague, Kotaro Hamamura, agro-pecuarista, formou fazenda Hamamura; Lazaro Freire, Leonel Almeida Costa, Luciano Gonçalves Valente; Manoel Galdino Bezerra, Manoel Pereira Filho, Marcos de Santi, Maria de Oliveira, proprietária do primeiro hotel; Minasse Taizo, Nélson Fávero, trabalhou em derrubadas, formou lavouras de café e, mais tarde tornou-se comerciante; Olavo de Melo Franco, primeiro Farmacêutico, primeiro Juiz de Paz, Sub-prefeito e, depois Primeiro Prefeito do Município; Pedro Mazuti, Rodrigues Ayres de Oliveira, Sakai Sato, Shigueru Yamamoto, Shinichi Gondo; Trindade Sanches, Uyeno Torao, agricultor; Valdemar Minelli; Vitório Minelli; Yoshimatsu Mitsuyasu, Yoshinobu Gondo, Yoshiyuki Noda.

É oportuno observar que o Senador Moraes de Barros bem como João Sampaio, este citado por Ferreira (1999, pg. 272), como pioneiro de Guairaçá, são pessoas que pertenceram ao quadro administrativo da Companhia Melhoramentos Norte do Paraná.

A no município uma grande discussão a respeito da origem do nome da cidade, muitas versões são dadas a respeito de como surgiu o nome Guairaçá. Elas são examinas a seguir por alguns relatos de pioneiros:
A senhora Elza Moreira Gomes1 afirma que o nome seria Guairacá, informação obtida com o senhor Olavo de Melo Franco: (...) ele me disse [o Sr. Olavo] (...) na verdade é que o nome seria em homenagem aos índios que viviam próximos, aqui na divisa do Estado do Paraná com São Paulo. Que era a última tribo que vivia na região, que vieram morar aqui na proximidade, então para nós foi uma homenagem da época, da única tribo (...) não puderam registrar como Guairacá, pois na região de Guarapuava já existia. E o cartório disse que não poderia haver duas cidades com o mesmo nome. Ai foi onde o cartório colocou a cedilha e o acento, e ficou Guairaçá.

Outra versão dá conta de que teria sido uma homenagem de Milton Vasconcelos Prado a um ex-expedicionário da FEB de nome Guairaçá de Moraes Nobre2
Essas questões são esclarecidas pela esposa do senhor Olavo de Melo Franco, a Sr.ª Lurdes de Melo Franco, quando perguntado para ela:
“De onde surgiu o nome de Guairaçá?” Eu posso te descrever mais ou menos. Por que não era pra ser Guairaçá, era pra ser Guairaca, mas como já tem uma cidade com esse nome, não sei onde, com nome de Guairacá, pra não destruírem o que já estava feito puseram um “rabinho” assim (risos) e ficou Guairaçá.

Segundo El-Khatib (1969, P. 108): “Pela Lei de 11 de outubro de 1947, Guairaçá foi elevada à categoria de Distrito, pertencente ao Município de Mandaguari; porém algum tempo mais tarde, passou a fazer parte do de Paranavaí”. Informa também El-Kathib (1969, p. 108), que: (...) a 25 de julho de 1960, pela Lei n° 4.245, ascendeu a Município, sendo desmembrado do de Paranavaí, e instalado oficialmente a 27 de agosto de 1960, data em que foi empossado o Sr. Daniel Corrêa Ferraz, primeiro Prefeito Municipal, nomeado.

A emancipação política – administrativa ocorreu a 11 de novembro de 1961, com a posse do primeiro prefeito eleito: O Sr. Olavo de Melo Franco, que teve como vice – prefeito, o Sr. Francisco Lopes Rubio.

Estes senhores exerceram o mandato de 1961 a 1965. Os vereadores eleitos para esse período foram: Adolfo Conegundes de Souza, Alcides da Silva Moura, Antonio Rodrigues de Souza, Antonio Ruzzon, José Costa, Lázaro Freire, Manoel Martins Leite, Manoel Ruiz, Minasse Toshiuki.


Referência Bibliográfica:
AMADEU, Afonso V. G.: Artigo: Guairaçá: Sua História Através De Seus Pioneiros, UNESPAR- FAFIPA, 2011.